Prêmio Caio

Detalhe do Case

Prêmio Caio 20ª Edição

Case: XXXI Congresso de Cirurgia Dermatológica - GO19

Candidato: Zebra Gestão Sustentável
Cliente: Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatologica - SBCD
Segmento: Eventos
Estado:

A XXXI edição do Congresso Brasileiro de Cirurgia Dermatológica foi realizada de 1 a 4 de maio de 2019 na cidade de Goiânia - GO. O objetivo principal foi, além da qualidade científica, mostrar a cidade de modo a que os participantes quebrassem os paradigmas com relação a congressos realizados fora dos eixos principais. O congresso envolveu aproximadamente 3.000 pessoas, entre médicos brasileiros e estrangeiros, integrantes da indústria, staff e apoio. Outro importante aspecto foi a concepção de um congresso sustentável de ampla abrangência, ações como plantio de 5.000 mudas, educação ambiental e debate de temas paralelos importantes de inclusão social como transgêneros, reciclagem e doações das bolsas a atletas carentes. A comunicação visual levou ao desenvolvimento de software capaz de interagir com o público por meio de amplos painéis de led de última geração. A economia local foi afetada com a entrada de aproximadamente R$ 20 milhões. O congresso de cirurgia dermatológica em Goiânia tornou-se um marco de referência para os próximos congressos da SBCD e da cidade que o sediou.

Vídeo

O contratante tinha como objetivo ultrapassar a marca de 2.000 médicos inscritos. E alcançar rendimento superior ao do congresso anterior realizado em Belo Horizonte. O congresso deveria adotar metas de sustentabilidade e realizar o plantio de arvores num parque em estado de degradação. Para tanto parcerias entre a SBCD, a industria e o governo local deveriam ser estabelecidos. O Congresso Brasileiro de Cirurgia Dermatológica tem uma sólida trajetória e metas estabelecidas. O cliente solicitou que o congresso fosse além das questões médicas, mas que pudesse ter a participação social e que fosse um marco na cidade de Goiânia. A industria deveria ser tocada para essa nova visão, em especial, porque a preparação do congresso deu-se em época de acentuada crise financeira no pais. A cultura local (comida, musica e arte) deveria ser valorizada, mas com toques de contemporaneidade. Mostrar uma nova Goiânia era premissa importante. Toda a comunicação visual deveria mostrar traços do Art Deco goiano.

Goiania havia sediado o CBCD havia 18 anos. Apresentar uma nova cidade era fundamental. De fato, a cidade mudou muito desde a última edição. Era importante sair dos clichês. Toda a estratégia foi desenvolvida ao redor dessa ideia: impressionar os visitantes. O primeiro passo foi desenvolver uma identidade visual que fosse compatível. Depois, convidar os melhores palestrantes nacionais e internacionais em suas áreas de conhecimento. Conquistar a indústria por meio de um plano sólido de metas também era prioritário. A crise, que ainda assusta o país, estava no auge durante a preparação. Quando o congresso é realizado em uma cidade fora do eixo Rio-São Paulo-Salvador os desafios logísticos são imensos. A gestão de pessoal local e externo é mais complexa. A execução também. A Zebra funcionou como elo entre esses atores. A sustentabilidade que permeou todo o congresso, desde a sua concepção, foi elemento chave para conquistar os participantes. Os canais de comunicação simples e diretos com descontos e premiações para os “early birds” facilitaram e alavancaram as inscrições.

O XXXI Congresso Brasileiro de Cirurgia Dermatológica é um case de sucesso. Conseguimos superar todas as metas propostas. Foram inscritos mais de 2.000 congressistas. A SBCD só aceita profissionais com título de especialista e não aceita estudantes. O que torna o acesso ao congresso muito difícil. Todos os palestrantes internacionais – conhecidos pela relevância dentro das suas áreas de conhecimento – vieram ao congresso sem cobrança de qualquer honorário. O engajamento da indústria foi além do histórico, com o projeto de sustentabilidade conseguiu-se fundos para o plantio de 5.000 mudas de árvores nativas e mais para a próxima estação de chuvas. A cidade de Goiânia movimentou por volta de R$ 20.000,00 segundo informações do Convention Bureau. A parceria com os órgãos públicos permitiu inclusive iluminar monumentos com a logo do congresso. Foram gerados documentos da arquitetura local com o ilustrador André Chiote que ficarão guardados para a memória da cidade. Os congressistas elogiaram o ponto de sugerirem a cidade como uma das sedes de rodizio permanente dentro da SBCD.